Quissamã

PRINCIPAL GEOSSÍTIO:

N°24: PARQUE NACIONAL DA RESTINGA DE JURUBATIBA
Localização: 22º12’5” S; 41º29’33” O
Descrição: É o primeiro Parque Nacional brasileiro a compreender exclusivamente o ecossistema de restinga. Pesquisadores concordam que Jurubatiba é a área de restinga mais bem preservada do país (www.quissama.rj.gov.br/index.php/2009/05/06/o-municipio-juribatiba). Abrange parte das planícies fluviais e marinha dos municípios de Quissamã, Carapebus e Macaé. Compreende uma faixa de orla marítima com 14.860ha de área e 44 quilômetros de extensão de praias. É um importante território inserido na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Registra espécies endêmicas e protege um rico ecossistema. Lagunas marcam as variações do nível do mar no Holoceno. O PARNA Jurubatiba é cortado pelo Canal Macaé-Campos que é considerado o segundo maior canal artificial do planeta e a maior obra de engenharia do período imperial no Brasil. Possui aproximadamente 100 km de extensão. Foram necessários quase trinta anos para a sua completa realização, que iniciada no ano de 1844 foi concluída em 1872. A construção de um canal navegável que serviria para o escoamento de mercadorias e transporte de passageiros entre Campos e Macaé, surgiu no final do século XVIII, frente ao crescimento da produção açucareira e as dificuldades de escoamento do produto. Dois anos apenas de sua conclusão foi inaugurada a estrada de ferro que ligava estas duas cidades, perdendo o Canal toda sua importância e funcionalidade. Tombado como patrimônio estadual em 2002, o Canal Campos-Macaé sofre hoje um intenso processo de assoreamento e despejos de esgotos, permanecendo apesar disso como um componente de destaque na paisagem urbana. Porém, no interior do parque ele mantém sua exuberância.


PRINCIPAL SÍTIO DE INTERESSE HISTÓRICO-CULTURAL NA ÁREA DO GEOPARQUE:

SÍTIO N°14: CASA MATO DE PIPA
Localização: 22º6’406” S; 41º28’755” O
Descrição: Quissamã tem uma longa história que se mistura com a própria colonização do Brasil. São quatro séculos de história que se iniciam quando sete capitães proprietários de engenhos no Rio de Janeiro recebem do Governador Martim de Sá, em 9 de agosto de 1627, a concessão da sesmaria que ia do rio Macaé ao rio Iguaçu, pertencente à Capitania de São Tomé, em troca dos serviços prestados à Coroa nas lutas para expulsão dos franceses do litoral do Rio de Janeiro. A Casa Mato de Pipa, conservada, foi construída em 1777 e tem valor histórico por ser o único exemplo das moradas dos primeiros senhores de engenhos nos Campos dos Goytacazes (www.quissama.rj.gov.br).

Deixe seu comentário: